Dicas para comprar um carro usado

Ter um carro próprio é o sonho de muitas pessoas. Só que nem sempre dá para garantir um veículo 0 km, principalmente pelos altos valores que envolvem as negociações por um carro novo. Isso acaba elevando a procura por usados, quem saem mais em conta.

De acordo com a Fenauto (Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores) houve crescimento de 6,5% na venda de veículos seminovos no Brasil em 2017 comparando com o ano anterior.

Sabendo disso, comprar um carro usado pode parecer um tabu para alguns, mas é um tipo de negociação bastante comum e que pode funcionar muito bem, desde que o comprador se atente a importantes detalhes, que vão desde o estado de conservação do veículo até a sua documentação.

Você tem dúvidas ou está curioso para saber como comprar um carro usado? Confira as dicas que separamos sobre o assunto!

Onde comprar um carro usado?

Quem está interessado em adquirir um carro usado, mas não sabe onde procurar deve ficar ciente que há várias possibilidades. A mais conhecida são as feiras de automóveis. Elas geralmente são realizadas em espaços abertos onde os condutores interessados em vender seus carros usados colocam à mostra os veículos. A negociação toda acontece ali mesmo, frente a frente.

Outra maneira de comprar um carro usado é indo a uma concessionária. Além de carros novos, elas também oferecem modelos seminovos e usados, que custam um valor mais barato. A negociação aqui acaba por ser mais segura, seguindo todos os trâmites e burocracias do mercado.

Na era da internet e tecnologia, claro que não podemos deixar de citar a venda online. Sites como OLX e Mercado Livre são famosos por vendas através da internet. Mas também existem sites específicos para compra e venda de carros usados, como o WebMotors e o iCarros.

Quais os detalhes mais importantes para consultar antes de comprar um carro usado?

Comprar um carro que não é novo acaba por exigir maior atenção a alguns detalhes que podem fazer a diferença. Como o veículo já teve rodagem e pertenceu a outra(s) pessoa(s) você precisa consultar se está tudo ok com o automóvel. Separamos dicas importantes abaixo:

  • Olhar a quilometragem: quanto mais o carro tiver sido utilizado, maiores são as probabilidades de ter que realizar gastos com manutenções. Não há uma quilometragem limite, mas carros acima de 50 mil quilômetros rodados geralmente exigem maior atenção com suas peças. Antes de fazer a compra do carro usado, dê uma boa conferida em qual sua quilometragem atual e não esqueça de questionar o vendedor sobre a situação do veículo (quebras anteriores, acidentes, etc.)
  • Testar o veículo: uma excelente maneira de saber se você conseguirá se adaptar ao carro comprado é dando uma volta nele. Combine com o vendedor para fazer um teste, assim será possível ouvir se há algum ruído que possa representar um ponto negativo, se a altura está boa, se a direção está do seu agrado, entre outros detalhes que somente dirigindo dá para saber.
  • Saiba de quem você está comprando: um dos perigos das feiras de automóveis é que muitas vezes estamos lidando com pessoas que não conhecemos ou temos alguma informação anterior sobre. Não é como uma compra através de uma concessionária ou um site. Nesses casos é preciso negociar com atenção e solicitar um histórico do veículo e do vendedor.
  • Busque informações: verifique se o veículo tem multas a pagar, se há histórico de roubo ou acidente, faça vistorias e confira peças-chave como o motor e o chassi. Se você está lidando com carros com placas de São Paulo, é possível consultar multas Detran SP. Basta clicar no link para ter acesso a essas informações.
  • Confira seus direitos: na negociação, deixe bem esclarecida a questão das garantidas e dos direitos de compra, principalmente em caso de problemas posteriores com o veículo.
  • Transferência: um dos processos mais importantes na compra de um carro usado é fazer a transferência do nome do antigo dono para o seu. De acordo com a lei federal, essa transferência precisa ser feita em até 30 dias a partir da assinatura do Certificado de Registro de Veículos (CRV).

Esperamos ter contribuído com as dicas mencionadas. É importante estar atento para não cair em nenhuma furada.

LEAVE A COMMENT